ATMP parabeniza Alzemiro Freitas por sua aposentadoria, após 22 anos de carreira no MPTO

Imagem

A Associação Tocantinense do Ministério Público (ATMP) parabeniza o promotor de Justiça Alzemiro Wilson Peres Freitas, que depois de 22 anos de dedicação, se despede do Ministério Público do Tocantins (MPTO). Na última sexta-feira, o procurador-geral de Justiça, José Omar de Almeida Júnior, assinou o Ato nº 113/2019, concedendo aposentadoria Alzemiro. 
 
“Desde que ingressei na carreira ministerial, busquei cumprir meu papel em todas as Comarcas por que passei, atendendo ao interesse público e institucional, buscando sempre a confiança da população tocantinense”, pontuou, acrescentando que sente orgulho de ter feito parte de uma instituição tão importante como o Ministério Público.
 
Luciano César Casaroti, presidente da ATMP, lembrou que este ano a entidade e o MPTO completam 30 anos e que Alzemiro deixa sua contribuição nas principais lutas da associação. “Parabenizamos o colega pela conquista da sua aposentadoria e agradecemos a ele sua contribuição para a construção da ATMP e do próprio Ministério Público”, destacou.
 
José Omar de Almeida Júnior destacou a importância do trabalho de Alzemiro na construção do Ministério Público tocantinense. “Foram muitos anos de dedicação, esse ato é um reconhecimento pelo esforço e compromisso do promotor, que deixa seu legado na construção da história do MP”.
Durante sua carreira no MPTO, o promotor de Justiça Alzemiro Wilson Peres Freitas atuou nas Comarcas de Novo Acordo, Augustinópolis, Araguatins, Goiatins, Itaguatins, Axixá, Paranã, Cristalândia, Gurupi e Araguaína. Antes de aposentar, estava à frente da 4ª Promotoria de Justiça da Capital e era membro do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). O promotor também foi integrante do Conselho Penitenciário e do Conselho Estadual sobre Drogas do Tocantins. 
 
A assinatura do ato concedendo a aposentadoria de Alzemiro contou com a presença da subprocuradora-geral de Justiça, Maria Cotinha Bezerra Pereira, da chefe de gabinete, promotora de Justiça, Cynthia Assis de Paula, e do Assessor Especial do PGJ, Paulo Alexandre Rodrigues de Siqueira.