ATMP acompanha estudo de viabilidade para implantação de Sistema Único de Informação no MPTO

Imagem

Uma reunião do Comitê Estratégico de Tecnologia da Informação (CETI) do Ministério Público do Tocantins, do qual a Associação Tocantinense do Ministério Público faz parte, prevista para ocorrer no dia 28 de agosto, vai deliberar acerca da viabilidade técnica e financeira para a adoção da plataforma eletrônica do Sistema de Informação Único (SIM) do Ministério Público o Rio Grande do Sul (MPRS).

A sugestão de estudo preliminar partiu do presidente da ATMP, Luciano Casaroti, após os integrantes do CETI participarem de uma videoconferência com representantes do MPRS para conhecer as vantagens do sistema. A implantação do sistema é um pedido da Corregedoria-Geral do MPTO, já que a plataforma do RS possibilita que todos os sistemas extrajudiciais e judiciais sejam convertidos do meio físico para o ambiente virtual, trazendo mais segurança e transparência das informações na avaliação da produtividade processual.

Para a ATMP, a implantação de um sistema único traz ganhos para a instituição.  “A implantação de um Sistema Único Eletrônico no MPTO que possibilite comunicação (interoperabilidade) com os sistemas judiciais é uma necessidade, visto que hoje a tecnologia é muito presente em todas as áreas. Aqui no MPTO não pode ser diferente, pois esta ferramenta deve ser desenvolvida para simplificar, dinamizar e melhorar a qualidade do trabalho”, afirmou Luciano Casaroti.

A apresentação do Sistema de Informação Único, ocorrida no dia 16 de julho, foi feita pela equipe do Ministério Público do Rio Grande do Sul, coordenada pelo Subprocurador-Geral de Justiça de Gestão Estratégica, Sérgio Hiane Harris, e prestigiada também pelo Corregedor-Geral do MPTO, Marco Antônio Alves Bezerra, pela vice-presidente da ATMP, Jacqueline Orofino, pelo Chefe de Gabinete da PGJ, Celsimar Custódio; pelo coordenador do Núcleo de Inteligência, Rodrigo Barcellos; pelo Diretor-Geral, Uiliton Borges, pelos assessores da PGJ Paulo Alexandre e Cyntia Assis de Paula, além de servidores da área de tecnologia da informação e do Eproc.